Chief Heart Officer – Pessoas Precisam de Pessoas –

Passo-a-passo, lentamente, caminhamos para o momento em que a necessidade de cuidar das Pessoas tornar-se-á algo não-negociável.

A distância para esse momento é aumentada por um paradima, muito forte, no nosso mundo e que coloca longe o dia em que mais organizações conseguirão combinar melhor bem-estar e prosperidade.

Recordo uma certa aceitação generalizada que, por muitos cantos do mundo, expressa que cuidar e amar ainda são consideradas decisões ineficientes.

Eu diria que o desafio tem mais a ver com uma natureza complexa, esmagadora. E complexidade e incerteza requerem abordagens diferentes. Como esta! Tentar criar uma organização verdadeiramente ‘human-centered’.

Inspirador!


 


ICOGN é um projecto que nasce através da Njiza Rodrigo da Costa, anfitriã e facilitadora de liderança autêntica, diálogo e acção participativa.  Ao seu lado trás toda a sua rede de amigos e membros das comunidades de aprendizagem e prática a que pertence. E muitos outros facilitadores, consultores, formadores e demais empreendedores comprometidos em gerar acção de impacto positivo do mundo.

A Njiza é Coach certificada pela ICC – International Coaching Community, aprendiz e praticante da Comunidade Internacional Art of Hosting, co-iniciadora da Comunidade AoH Portugal, praticante da jornada U, facilitadora certificada da metodologia fenomenológica ‘Gestão Sistémica através das Constelações Organizacionais’, certificada pela Design Thinkers Academy em Service Design Thinking e praticante de várias metodologias colaborativas (ex.:Círculo, World Café, Open Space Technology, Dragon Dreaming Project Design).  

Read more "Chief Heart Officer – Pessoas Precisam de Pessoas –"

6 nutrientes para equipas com coração forte – Equipas criativas e coesas.

O espaço de reflexão e o convite-desafio que apresento hoje é para que, enquanto na função-liderança de equipas, queiramos primeiro liderar-nos a nós mesmos e depois tenhamos a intenção de anfitriar pessoas. Convido à mudança na estrutura de atenção e modo de participação da função líder, para que possamos co-criar equipas com um coração forte. Chamo equipas […]

Read more "6 nutrientes para equipas com coração forte – Equipas criativas e coesas."

Leap into Life – um novo modelo de negócio para a Economia Partilhada | alainvolz

A partilha deste artigo é feita como um gesto de celebração ao ver o detalhe de sistematização e aplicação que um sonho conseguiu alcançar. Ouvi este sonho pela primeira vez, da voz e alma do próprio sonhador, faz aproximadamente 4 anos. E digo sonho por que a imagem que o Alain Volz propõe, através deste modelo de […]

Read more "Leap into Life – um novo modelo de negócio para a Economia Partilhada | alainvolz"

5 Questões com Robert Kegan, Lisa Lahey e Andy Fleming sobre o livro ‘An Everyone Culture’

Uma provocação evolucionária para substituir a busca em ser a ‘melhor empresa para trabalhar’ e procurar ser a ‘melhor empresa para crescer’. “Vamos ser francos: numa organização a maior parte das pessoas anda a realizar um trabalho que ninguém paga – nomeadamente, esconder as suas fraquezas, parecer bom, encobrir partes de si, gerir como obter uma boa impressão por parte dos outros. Este é o […]

Read more "5 Questões com Robert Kegan, Lisa Lahey e Andy Fleming sobre o livro ‘An Everyone Culture’"

9 minutos sobre a evolução das organizações

Texto por Njiza Rodrigo da Costa

Fonte: Lean and Agile Adoption with the Laloux Culture Model on Vimeo

A linha de pensamento, que neste vídeo, inspira este post é: ‘um tipo de organização não é melhor do que outro’. Pois tudo o que representa movimentos de evolução por integração é celebrado por mim.
Considero, pessoalmente, que estamos presos num padrão de evolução por supressão e que necessitamos urgentemente de regressar ao padrão Natural de evolução – onde o novo integra o velho e onde o velho, em processo de involução, deixa-se ser assimilado.
Longe da abordagem ‘certo ou errado’, o convite que trás este vídeo é sim o de tentar compreender o nível de complexidade que caracteriza o universo actual de cada organização, e em função deste diagnóstico, procurar adaptar-se.
Assumindo que alguns de vós aceitarão o convite para esta pausa de 9 minutos não resisto a deixar um novo convite para exercer a opção individual, de dedicar uns minutos mais para explorar a seguinte questão que deixo para reflexão:

‘Como criar condições para capacitar o colectivo para melhor navegar e beneficiar da realidade actual (nível de complexidade) e preparar a natural evolução?’


Dica ICOGN para colher resultados:

Usa a prática de ‘pensar com as mãos’.
Pega uma folha em branco e uma caneta, realiza 3 respirações profundas mantendo o foco na região do abdomen, relaxa. Lê a pergunta em voz alta, espera, não deixes o racional falar primeiro, espera em silêncio, observa as sensações dentro de ti, se necessário repete a pergunta em silêncio. Espera e presta atenção a tudo o que emergir dentro de ti ( imagens mentais, sensações, palavras soltas sem lógica), começa a escrever, não tentes fazer sentido, não leias enquanto escreves, deixa a mente intuitiva fazer o que de melhor faz – dar voz aquilo que sabes, mas que julgas que não sabes – escreve tudo durante cerca de 2 minutos. Depois lê. E agora sim podes unir mente racional e mente intuitiva. 


 

 Este video oferece uma síntese que integra 3 abordagens dentro da temática da cultura das organizações que inspira o desenho de processos organizacionais – agile, lean e spiral dynamics.
Mas o maior valor deste vídeo, a meu ver, é oferecer, de modo claro, uma visão sobre alguns dos principais padrões que forçam a necessidade de evolução por parte das organizações e suas lideranças.
E digo forçam por quê? Porque é explícito que existem factores independentes, poderosos, não controláveis pelas lideranças e que de um modo ou de outro, por mais que custe ouvir, não oferecem espaço para a opção de querer evoluir ou não.
“Toda a gente sabe que nem toda a mudança é boa ou considerada necessária.
Mas num mundo em constante mudança é vantajoso
adaptar-se e usufruir de algo melhor.”
– Kenneth H. Blanchard

A verdade é que as lideranças dispõem somente da opção de decidir quando e como evoluir. Sim ou não, são as únicas opções de resposta neste cenário, tranzendo acoplada a responsabilidade da escolha.

Disfrutem destes 9 minutos. Desejo sinceramente que vos ofereça uma boa pausa de reflexão, inspiradora e energizante!
Para saber mais sobre a mim clica aqui

 

Read more "9 minutos sobre a evolução das organizações"

Como posso melhorar todas as minhas relações?

WHY WE GO COLD ON OUR PARTNERS from Tomás Pichardo-Espaillat on Vimeo.

 

Por que é que ficamos frios nas relações?

No vídeo explora-se o desgaste das relações pessoais íntimas, mas vi neste vídeo o mesmo fenómeno que nos dissocia em todas as nossas relações.

Hoje em dia, sabemos bem, que não existe de facto separação real entre pessoal, profissional ou qualquer outra esfera da nossa vida. Tudo está ligado por elos invisíveis e poderosos.

O mesmo fenómeno de desgaste ocorre em todas as nossas relações. Vamos-nos dissociando progressivamente e pouco a pouco o entusiasmo, o compromisso, o respeito e lealdade vão-se esvanecendo nas relações onde não nos permitimos apresentar de modo autêntico.

O enfoque deste post é, claro está, convidar a questionarmo-nos como este mesmo fenómeno se manifesta no dia-a-dia das nossas profissões.

Pode parecer lamechas, mas não há nada a fazer, se quisermos verdadeiramente criar grupos, organizações e sociedades mais felizes, temos de humanizar todas as nossas relações. E isto implica integrar a nossa multi-dimensionalidade.

O caminho de solução considera certamente aprendermos a identificar e alinhar tudo aquilo que somos.

Refiro-me, claro está ao desenvolvimento e prática de Presença e Expressão Autêntica, ou seja Liderança Individual Autêntica.

Por quê desenvolver uma qualidade de presença e liderança autêntica?

  • Porque esta decisão impacta na minha capacidade pessoal de ser genuíno e auto-consciente.

  • Porque quero criar acção que une a minha mente e o meu coração.

  • Porque estou farto(a) de esconder aquilo que sinto e quero trazer a minha humanidade para o meu dia-a-dia, em todas as minhas decisões.

  • Porque não acredito que sucesso ou humanidade sejam incompatíveis com humanidade.


quote-autenticidade

Read more "Como posso melhorar todas as minhas relações?"